22
Abr 09

A Favorita ficou com 3 nomeados de um total de 6 nas categorias mais importantes como Melhor Actor e Actriz e Melhor Actriz e Actriz Coadjuvantes! Isto é óptimo, quer dizer que dos 6 finalistas que o público escolheu, 3 são d'A Favorita. Também tem nomeados nas outras categorias, mas só 1 (também não tinha mais indicados, os que foram chegaram à final!). Com as setas estão os que eu acho + provável ganharem, não os que eu prefiro, atenção! Ora vejam:

Melhor Actriz, as mesmas 3 do Faustão:

  • Cláudia Raia - Donatela
  • Mariana Ximenes - Lara
  • Patrícia Pillar - Flora <-

Melhor Actriz Coadjuvante:

  • Deborah Secco - Céu
  • Glória Menezes - Irene
  • Lília Cabral - Catarina <-

Melhor Actor:

  • Carmo Dalla Vecchia - Zé Bob
  • Cauã Reymond - Halley/Mateus
  • Murilo Benício - Dodi <-

Melhor Actor Coadjuvante:

  • Ary Fontoura - Silveirinha
  • Iran Malfitano - Orlandinho
  • Jackson Antunes - Leo <-

Melhor Actor Revelação: Alexandre Nero - Vanderlei (Bento Ribeiro [Juca] e Jean Pierre Noher [Pepe] também estavam indicados)

Melhor Actriz Infantil: Hanna Romanazzi - Camila (única indicada da novela)

Melhor Actor Infantil: Eduardo Mello - Domênico (único indicado da novela)

Melhor Autor: João Emanuel CarneiroMelhor Director: Ricardo Waddington

Melhor Novela

A categoria Melhor Actriz Revelação é a única que não aparece, em que as indicadas eram Clarice Falcão (Mariana), Giovanna Ewbank (Sharon) e Docymar Moreira, a terrível Zezé.


23
Fev 09

O maior destaque foi sem dúvida a vilã Flora vivida por Patrícia Pillar que fez sucesso até na internet com versões hilárias do hit "Beijinho Doce".

 

 

 

 

 

 

 

A outra protagonista, Donatela vivida por Claudia Raia, também se destacou ao ponto de provar que Claudia não tem talento só para as personagens cómicas, encarnando desta vez uma mocinha que não se fez de coitadinha e também teve seus pecados.

Murilo Benício e os veteranos Ary Fontoura, Lília Cabral, Jackson Antunes, Suzana Faini, Milton Gonçalves, Mauro Mendonça e o casal Glória e Tarcísio mais uma vez deram um show de interpretação.

Com Halley, Cauã Reymond deu provas do seu talento em papéis dramáticos e não apenas nas personagens bad boy.

Iran Malfitano, o Orlandinho, iria fazer apenas uma pequena participação na novela, mas a sua personagem foi tão acarinhada e fez tanto sucesso que ela acabou ficando até ao fim.

Aqueles que serão sempre lembrados (além dos que estão acima):

  • Emanuelle Araújo (Manu) - a garota de programa confirmou o talento na cantora também na representação.
  • Gisele Fróes (Lorena) - passou a ser conhecida também na televisão com uma personagem que soube aproveitar.
  • Miguel Rômulo (Shiva) - inesquecível nas suas cenas dramáticas ao lado de José Mayer e Claudia Raia.
  • Genézio de Barros (Pedro) - brilhante interpretação do actor que até incutiu tiques na personagem.

Aqueles que não brilharam:

  • Ângela Vieira (Arlete) - practicamente não teve história, foi apenas "a secretária".
  • Taís Araújo (Alícia) - depois de Preta e Ellen nas outras novelas de Carneiro, Taís merecia uma personagem com mais destaque.
  • Chico Diaz (Átila) - poco aconteceu de relevante com este personagem.
  • Rosi Campos (Tuca) - outra personagem que não teve uma história para lembrar.
  • José Mayer (Augusto) - apesar do esforço do actor, o personagem não se adaptou a ele.
  • Christine Fernandes (Rita) - a actriz merecia mais destaque, coisa que não lhe têm dado na Globo.

As revelações:

  • Leonardo Medeiros (Elias)
  • Fabrício Boliveira (Didu)
  • Alexandre Nero (Vanderlei)

Depois há aqueles que sempre ficam bem, Mariana Ximenes, Deborah Secco, Paula Burlamaqui, Malvino Salvador, Cláudia Ohana, Elizângela, Helena Ranaldi e Giulia Gam.

Há uma personagem que eu não gostei: o Cassiano. Personagem chatíssimo, meloso e repetitivo.

Houveram várias críticas a Carmo Dalla Vecchia (Zé Bob) que diziam que era uma personagem demasiado importante para um actor que fez tão poucas novelas, também que ser o par romântico de Claudia Raia era muita areia para o seu camião e que o casal não tinha química. Eu não acho.


21
Fev 09

Claudia Raia, a Donatela, Patrícia Pillar, a terrível Flora, Mariana Ximenes, Lara, Carmo Dalla Vecchia, o jornalista Zé Bob, Cauã Reymond, Halley, Iran Malfitano, o Orlandinho, Deborah Secco, Céu e Thiago Rodrigues, o Cassiano escolhem as suas cenas favoritas!


14
Fev 09

Com um vestido cor de rosa seco e uma cauda de 2,8m em tecido de musseline e tule de algodão, Donatela sobe ao altar para dizer o tão sonhado sim ao jornalista Zé Bob.

O modelo romântico, que conta ainda com renda rebordada e aplicações de pedras e paetês, é idealização da figurinista da novela, Marie Salles, e a confecção da estilista Marta Macedo, mais conhecida como Martu. Marie contou ao site detalhes do figurino.

INSPIRAÇÃO 
“A Donatela de antes era muito decidida, colorida, estampada, mas ela perdeu tudo e foi amadurecendo no decorrer da trama. Nós queríamos marcar o ressurgimento dela e nada melhor do que ela casar vestida como uma rainha”, diz.

PODE SER USADO POR QUALQUER MULHER
“Ele foi feito para o corpo da Cláudia Raia, por isso, fica melhor nas pessoas mais altas”, comenta Marie. Mas as baixinhas não precisam ficar tristes. A figurinista dá uma dica valiosa para quem sonha em casar com um vestido inspirado na novela. “Elas podem usar, mas precisam diminuir o tamanho da cauda pela metade”, comenta.

ETIQUETA
É importante lembrar que o local da cerimônia também interfere no visual da noiva. “A roupa da Donatela, por exemplo, não é feita para ser usada em igreja. Além disso, ele fica melhor em pessoas que já se casaram anteriormente”, ressalta. Para garantir um evento elegante, Marie não se esquece de sugerir a roupa ideal para os homens: “O melhor traje é o fraque. Ele fica bem em qualquer um”, aconselha.

publicado por Tititi às 22:11

03
Fev 09

Já que no fim-de-semana me adiantei um pouco na postagem dos acontecimentos da novela que nem sequer deram ontem, mas sim hoje vão dar (Donatela assombra Flora e depois aparece para ela), ficam aqui mais uns actores que se despedem do público e as reportagens que o Video Show fez no ínicio da novela.


17
Jan 09

O último capítulo de A Favorita exibido ontem no Brasil conquistou 49 pontos de audiência com picos de 53, superior a Duas Caras que obteve 47, mas inferior ao record conseguido na última quinta-feira, capítulo do casamento de Donatela e Zé que conseguiu 52 pontos, a média mais alta alcançada.

João Emanuel Carneiro está muito chateado pelo facto do final ter sido revelado à uma semana atrás. Mesmo assim ele despistou a imprensa dizendo ter escrito outro final mas na verdade não escreveu.

Depois de O DIA divulgar com exclusividade na coluna Telenotícias os finais de A Favorita, há uma semana, a TV Globo iniciou uma série de procedimentos para tentar identificar quais pessoas poderiam ter repassado a informação ao jornal.

O pedido foi feito pelo próprio autor da novela, João Emanuel Carneiro, que, irritado, durante a semana anunciou que faria mudanças no último capítulo, o que não aconteceu. Irritado, João Emanuel chegou a fazer ameaças nesta sexta-feira em entrevista à publicação.

"Nunca mais na minha vida vou dar nenhuma notícia para o jornal 'O Dia' e vou tratar também para que a empresa (TV Globo) não mais se relacione com esse jornal por ter publicado isso", disse o novelista. No período de exibição de sua obra, Carneiro já havia se recusado a conceder entrevista ao jornal.

Desde o fim de semana, veículos de imprensa vêm noticiando o mal-estar dentro da emissora após a publicação do furo. Reportagem da revista Veja do último domingo sustentou que o autor ficou muito irritado com o vazamento de cenas importantes do último capítulo e decidiu fazer mudanças. Na sexta, o colunista Daniel Castro, da Folha de S. Paulo, escreveu que uma CPI foi instalada para apurar quem vazou a informação. Até mesmo uma publicação da Infoglobo, que pertence às Organizações Globo, descreveu como "caça às bruxas" a investigação.

A emissora se pronunciou apenas em texto da Central Globo de Comunicação. "Especulações e fantasias sobre o final de uma trama contribuem para sua divulgação. A TV Globo, assim como qualquer empresa séria, reage a eventuais atitudes desleais."

Antecipar finais de tramas é objecto de cobiça da imprensa. E há autores que até defendem a divulgação para criar mais expectativa. "A imprensa sempre contribui, jamais destrói. O facto de vazar já acontece há anos. Os autores sempre ficam preocupados, mas isso sempre vai acontecer e o público nunca deixará de acompanhar. Desperta ainda mais o interesse", aposta o actor Jackson Antunes, o Léo de A Favorita.

Mesmo sem defender a idéia, alguns autores acreditam que isso não atrapalha em nada o sucesso do último capítulo. "De modo geral, a divulgação antecipada não prejudica a audiência. Não basta apenas saber o que vai acontecer, o público quer saber como os factos vão se desenrolar", opina Ricardo Linhares, autor de Paraíso Tropical ao lado de Gilberto Braga.

"É evidente que saírem na imprensa momentos da trama ajuda na divulgação", admite Benedito Ruy Barbosa, que evita divulgação dos capítulos finais. "Os autores se queixam sempre", analisa o autor Benedito Ruy Barbosa. "Em 'Pantanal' (exibida em 1990 na extinta TV Manchete e reprisada recentemente no SBT), a (também extinta) revista 'Manchete' publicou o final e eu fiquei louco da vida. Então mudei algumas coisas", lembra ele.

Ficam aqui umas fotos da festa que os actores fizeram para assitir ao último capítulo. Amanhã posto as reacções deles.
Roberto TeixeiraRoberto TeixeiraRoberto TeixeiraRoberto TeixeiraRoberto TeixeiraRoberto TeixeiraRoberto TeixeiraRoberto TeixeiraRoberto TeixeiraRoberto TeixeiraRoberto Teixeira

Quanto aos rumores de gravidez de Claudia por causa das cenas em que esta apareceu mais gordinha na zona do abdómen, ela diz que teve que ficar mais gordinha e disse mais uma vez que por enquanto não vai aumentar a família, primeiro vai descançar. Mas a barriguinha dos últimos capítulos parecia mesmo de grávida, prestem atenção nas cenas dela.Marcos Faber

A média dos últimos 30 capítulos de “A Favorita” foi de 44 pontos contra 11 da segunda colocada. Mas, apesar da reviravolta, a audiência final da trama, após os seus 197 capítulos exibidos, ficou abalada. Segundo dados consolidados do relatório do Ibope a história chega ao fim com 39,6 pontos de média na Grande São Paulo. É a terceira pior média do horário, só fica a frente de Esperança e Suave Veneno, que respectivamente marcaram 38 pontos.


15
Jan 09

Nenhum dos personagens que fez antes na TV levou Ary Fontoura a tantas reflexões quanto o dissimulado Silveirinha, de A Favorita. "Eu nunca lidei tanto com o lado negro do ser humano como nesta novela", justifica o actor de 75 anos, 43 deles de trabalhos ininterruptos na Globo.

Em uma carreira com tantos personagens de destaque, Ary já experimentou as graças e desgraças do sucesso. "O seu Nonô de Amor Com Amor Se Paga foi o mais popular. Mas eu tive de pedir para a autora diminuir minha participação porque ganhei uma úlcera de tanto estresse", recorda o actor, sobre o folhetim que fez em 1984.

E ainda veio o Florindo Abelha de Roque Santeiro, de 1985, o Arthur da Tapitanga de Tieta, em 1989... Agora, com Silveirinha, ele recebe uma reação paradoxal por parte do público. É abordado por pessoas que pedem para ele parar de praticar maldades.

Mas por outro lado, vê que nem mesmo as crianças têm medo das vilanias que pratica em A Favorita. "Como já fiz muita coisa na TV, me vêem como um actor antigo e querem cuidar de mim", explica. O que não o livra, no entanto, de enfrentar situações inusitadas em estádios de futebol, por exemplo.

"Vou muito a jogos e gosto de ficar na arquibancada. Às vezes me jogam alguma coisa na cabeça. Mas depois que a partida começa, esquecem do Silveirinha", conta Ary, com ar de satisfação.

Você até abriu mão de suas férias para interpretar o Silveirinha. Lá no início, o que chamou a sua atenção na sinopse do personagem?
O pouco que sabia do personagem - um ex-empresário de uma dupla sertaneja - eu achei interessante, apesar de indefinido. Não sabia que ele seria vilão e aceitei porque disseram que apareceria pouco na história.

E como é, do meio da novela para cá, ser tão requisitado e aparecer em quase todas as cenas?
Estamos trabalhando de uma maneira bem rígida. Há muita cobrança quando se faz uma novela das oito. Às vezes, não consigo sair do personagem. Na profissão de ator, tudo é saber fingir. Mas a gente lida com sentimentos. E, em algumas cenas, esses sentimentos são tão fortes que marcam profundamente. Você não consegue fazer mais nenhuma cena, mas ainda tem 10 pela frente. O Silveirinha me leva a muitas reflexões.

Quais?
Paro para pensar em como o ser humano é, em como as pessoas resolvem suas vicissitudes. Ninguém é só mau ou só bom. O Silveirinha é humilhado, ofendido, mas também ofende e humilha. Há rancores que nunca foram resolvidos porque ele premeditou um belíssimo futuro e errou. Isso mostra que na vida não dependemos apenas de nós mesmos. Tudo é diálogo. Quando as pessoas se esquecem disso, e o Silveirinha se esqueceu, o caminho fica aberto para alguns valores desprezíveis, como o rancor e a raiva. Nunca lidei tanto com o lado negro do ser humano como estou lidando nessa novela.

O crescimento do personagem no folhetim surpreendeu você?
Isso é resultado de um trabalho feito cuidadosamente, com bastante paciência. Sempre que se faz uma novela a gente tem de deixar uma infinidade de possibilidades para o autor criar em cima e a gente desenvolver ainda mais. Como essa é minha 45ª novela, tenho experiência nesse sentido. Nunca conduzo meu trabalho de maneira fechada. Novela é um produto que vive do gosto do público e varia de dois em dois meses. O ator precisa ficar atento.

Em sua novela anterior, Sete Pecados, seu personagem também ganhou importância no decorrer dos capítulos. Atores experientes como você são a salvação para novelas frágeis ou inconsistentes?
Não vejo assim. Em Sete Pecados o personagem cresceu de maneira diferente. A história de um amor fora de época, em uma idade mais avançada, era interessante. Abracei aquilo com entusiasmo e a Nicete Bruno, que era minha parceira, também.

A maioria dos telespectadores concluiu que essa história era verossímil e daí veio a repercussão. Mas em A Favorita o personagem foi sendo construído a partir das várias etapas que a novela teve. Não acho que a novela ou os autores passem por uma crise, como dizem por aí. O que acontece é que o mundo está mudando muito e as pessoas estão com certa dificuldade de acompanhar o que acontece por causa da pressa de hoje em dia. Não conheço o João Emanuel Carneiro pessoalmente, por exemplo.Mas acho que ele sabe muito bem o que quer e o Silveirinha já é um dos ersonagens mais importantes de minha carreira.

Você também já se decepcionou com personagens?
Vários personagens que fiz não foram aproveitados como deveriam, mas o problema não foi meu, foi do autor. Alguns autores perderam a oportunidade de me fazer desenvolver um bom trabalho. Ator é um instrumento do autor.

Aos 75 anos, 60 deles dedicados à atuação, e em sua 45ª novela, ainda há muita coisa que você não conseguiu realizar?
Vivo do presente, do passado só recolho o que foi bom e não planejo personagens para o futuro porque o amanhã não me pertence. Nunca deixei de trabalhar na Globo, onde estou há 43 anos. Já estou escalado para um próximo trabalho, Caras e Bocas, com um personagem completamente diferente do que faço agora. Sempre haverá espaço para os atores veteranos e não acho que nossa profissão seja cruel com os mais velhos. As histórias precisam de tios, avôs... Não tenho do que reclamar.

Em toda sua trajetória, houve momentos de dificuldade?
Sim, períodos de ausência de trabalhos, por exemplo. Nessa profissão você mata um leão por dia e há épocas em que os convites não surgem. Mas sempre fui movido pela filosofia de que é preciso lutar para chegar lá. Mas chegar lá onde? Porque quando você alcança determinada coisa já está logo querendo outra. Apesar dessas adversidades, no entanto, nunca me decepcionei porque sabia tudo o que podia me acontecer.

Pessoas à minha volta sempre me chamaram a atenção para as dificuldades. No fundo, sou um operário que procura fazer o seu produto da melhor maneira. O meu compromisso é com o público. Só sou ator porque o público me aceita.

E como o público reage às maldades do Silveirinha?
Fiz o Sítio do Picapau Amarelo por três anos e meio e as crianças me adoravam. Era Coronel Ludovico para todos os lados. Então, pensei: "com o Silveirinha praticando tanta maldade, esse público não vai mais me dar atenção". Mas as crianças não têm o menor medo de mim (risos). No shopping, já ouvi mãe dizendo para a filha parar de chorar porque senão vai chamar a Flora.

Se disser que vai chamar o Silveirinha, não vai acontecer nada. Não entendo muito esse processo, mas acho que as pessoas me olham e cuidam um pouco de mim. Sou um ator antigo, muito visto em diversos papéis, então as pessoas são carinhosas. Depois de Sete Pecados, veio gente dizer para eu não fazer esse tipo de personagem porque o Romeu foi muito bom. Mas eu explico que preciso exercitar uma série de valores para minha profissão não cair na monotonia. As pessoas aceitam, mas pedem para eu fazer um bonzinho na próxima.

Ilustre desconhecido

Ary Fontoura começou a fazer cinema em Curitiba, cidade onde nasceu em 27 de janeiro de 1933. No Sul, já era um ator conhecido, mas quando se mudou para o Rio de Janeiro com a intenção de investir na carreira de ator, não passava de um desconhecido. "Comecei como figurante.

A primeira novela que fiz foi na extinta TV Rio. Era Os Desconhecidos, do Nelson Rodrigues", relembra o veterano. O primeiro grande sucesso, no entanto, só viria em 1970, com Assim na Terra Como no Céu, já na Globo.

De lá para cá, o ator somou personagens de imenso destaque. Desde os mais antigos Baltazar Camará, de O Espigão, em 1974, e o lobisomem Aristóbulo Camargo, em Saramandaia de 1976. Até figuras mais recentes de grande repercussão como o Pitágoras de A Indomada e Porto dos Milagres, nas décadas de 90 e 2000.

"Todo mundo que fala mal da TV é porque não está dentro dela. A receptividade do nosso trabalho é excelente", simplifica. Apesar de fascinado pelas companhias de teatro que frequentavam sua cidade desde pequeno, Ary afirma que nunca teve modelos ou ídolos na profissão. "Egoisticamente eu me baseio sempre em mim nessa carreira", resume.

Sem ressentimentos

Foram tantos tipos diferentes na carreira de Ary Fontoura mas, até pouco tempo, ele não tinha na sua lista de personagens um galã. "Nunca me incomodou essa posição. Eu sou um cara simpático, mas não sou bonito", assume o actor. Os papéis que caiam em suas mãos eram sempre de fragilizados, esquisitos ou vilões. "Quando eu fazia o romântico, era sempre vivendo um amor platónico", confirma.

Apesar de não procurar, o que parecia impossível por causa da idade aconteceu em 2007, na novela Sete Pecados, em que interpretou Romeu e fez par romântico com Nicete Bruno. O casal caiu no gosto do público e roubou a cena.

"Fiz um Romeu aos 75 anos. Nunca batalhei por isso, mas sempre soube que conseguiria fazer porque tenho sentimentos, apesar de não ter o porte do galã", valoriza Ary.

E vejam a foto do novo visual de Donatela que apareceu hoje na internet! Pronto, o meu cabelo já não está igual ao dela, mas eu acho que o aumento ficou-lhe muito bem, o que acham?


14
Jan 09

João Emanuel Carneiro confirmou que fez alterações no final de A Favorita que vazaram para a imprensa na última semana, informa a coluna Zapping do jornal Agora.

O autor admitiu ter ficado chateado por seu texto ter sido divulgado, sendo que apenas sete pessoas tiveram acesso a ele.

Carneiro entregou o texto do último capítulo modificado há quatro dias. Com a missão cumprida, ele disse se sentir "mais aliviado".

No final divulgado, Lara (Mariana Ximenes) atira em Flora (Patrícia Pillar), mas desiste de matá-la. A vilão então é presa.

Título da MatériaCom a morte de Dodi, Murilo Benício despede-se de A Favorita um pouquinho antes dos outros colegas de cena.

Bastante satisfeito com o resultado desse trabalho, o actor conta que a equipe superou suas expectativas.

“Adorei a novela, adorei a equipe.... Foi uma delícia, o elenco é maravilhoso,  o que também não é raro. A gente está sempre com gente bacana,  mas que mesmo assim  supera as nossas expectativas. Foi uma delícia, vou ter muitas saudades”, ele disse.

O actor contou ainda que vai sentir muita falta do dia-a-dia com a equipe: “A gente se apega muito às pessoas, faz amigos, conhece gente nova... E, de repente, de um dia para o outro, a rotina é completamente mudada, acaba aquele ritmo frenético de gravação e no dia seguinte você não tem nada para fazer. Em 15 anos de Rede Globo, eu ainda não me acostumei. Ainda sofro um pouco”.

Claudia Raia tirou o amigo e cabeleireiro Wanderley Nunes de suas férias para encomendar uma mudança de visual. Ele, que mora e trabalha em São Paulo, está no Rio de Janeiro desde a madrugada desta terça, 13, recriando o look de Donatela para a fase final de "A Favorita".
Detalhes sobre o novo penteado de Donatela Wanderley não dá, mas garante uma nova Claudia na fase final da novela. Quanto a sair do sossego e virar a noite trabalhando ele garante: "É por uma óptima causa".

Já teve longas madeixas castanhas na fase em que a personagem vivia uma dondoca, fios curtos e desalinhados na fase em que a moça foi presa e um look loira platinada, adquirido com o uso de uma peruca sintética, quando a heroína era uma fugitiva da Justiça.
Vivendo um novo momento, em que começa a desmascarar a vilã Flora, vivida por Patrícia Pillar, Donatela precisa mudar novamente. O visual de pessoa indefesa e insegura, dará lugar a uma nova mulher, mais poderosa e assumida. Para isso, o hairstylist das celebridades Wanderley Nunes preparou um aplique especial. "Não será necessário aplicar um megahair. Fiz um aplique longo, com fios mais claros, que irá dar a ela um toque de classe e feminilidade perdidas e reconquistadas no final da história", antecipou o profissional.


12
Jan 09

A Favorita termina esta semana no Brasil, mas já vai desenhando seus finais. E, enquanto o autor João Manoel Carneiro não coloca o The End na telinha, vários atores do elenco da trama global dão seus palpites a OFuxico sobre o final de seus personagens.
Os artistas ainda contam os seus projectos pessoais, após o término das gravações.

Lília Cabral: “Catarina merece ser muito, muito feliz. E, pelo que a gente vê, vai conseguir, com um belo amor, amando e sendo amada. Mas, não sei se é isso que a tornará, de fato, realizada. Catarina pode recuar. Acho que ela assume o papel de matriarca da família, todos passam a admirá-la e respeitá-la como mãezona, já que a mãe dela se retraiu”.

 

Patrícia Pillar: “Acho que não existe nenhum final à altura das maldades da Flora. O João vai me surpreender, certamente, novamente, com o final dela. Vou preparar o lançamento do documentário Waldick Sempre no Meu coração, que deve estrear entre março e abril. Até lá, estou de férias”.

Cláudia Raia: “Donatela tem que provar a inocência, reconstruir a vida com a filha, o namorado e ajudar na Fontini. Quem sabe ela também volte a cantar? Assim que terminar de gravar, viajo com a família para a China”.

Mariana Ximenes: “A Lara merece paz, porque passou a novela sendo enganada e correndo atrás da verdade. E essa paz ela deve encontrar nos braços do Halley, em harmonia com a avó e Donatela, no rancho. Vou descansar um pouco e viajar”.


Murilo Benício: “Dodi podia se dar bem, porque só deu com os burros n´água. Vou tiras férias, mas não sei para onde vou”.

Cauã Reymond: “Haley é um cara legal, deve casar com a Lara e levar a Cilene pra morar com eles. Vou dar um tempo no Rio, curtir a praia, até a Grazi (Massafera) ter uma folga para viajarmos juntos”.

Thiago Rodrigues: “Mais um trabalho bacana, com pessoas bacanas por perto. Engrandecedor! O final que o João determinar, está legal. Vou cuidar das minhas coisas, curtir a gravidez da minha namorada e esperar a chegada do nosso filho”.

Ary Fontoura: “Silveirinha também merece ser punido. Ele foi feito de gato e sapato pela Flora, mas foi muito ardiloso o tempo todo, desde o início, quando sequestrou o Mateus. Ele merece um fim que o faça refletir. Sozinho, talvez”. 

Elisângela: “Faltou amor na vida da Cilene, e acho que é isso que eu daria a ela. Ao longo da história, ela foi uma pessoa muito sozinha. Quero tirar um mês para viajar, ainda não sei pra onde, e depois retorno com a turnê da peça Monólogos da Vagina”.

Leonardo Medeiros: “Ele já dá sinais de que vai voltar a actuar, apenas como dentista. Eu torceria por uma nova paixão, já que a Dedina (Helena Ranaldi) morre e a Diva (Giulia Gan) gosta mesmo do outro. Ainda não sei ao certo o que farei, mas é certo que tirarei uns dias de descanso”.

Jackson Antunes: “Uma clínica de reabilitação, fazer trabalho voluntário, qualquer coisa que limpassse um pouco as atrocidades que ele fez, seria legal. Eu quero ficar no meu sítio, em Guapimirim, descansando”.

Cláudia Ohana: “Vou viajar com meu namorado. Vamos passar uns 20 dias numa praia”.

Gisele Fróes: “Estou adorando o destino que o autor está dando à Lorena. Ela está colhendo o que plantou. O casamento está amadurecendo, o marido se firmando e ela também, depois de tantos conflitos de sentimentos. Eles se descobrem muito bem casados. Quando encerrar o trabalho, passarei um tempo no sul da Bahia. Depois, começo os ensaios do musical da Broadway, Rock´n Roll. Estreio em Curitiba (PR) e depois trago para o Rio”.  

 

Deborah Secco: “Orlandinho (Iran Malfitano) podia assumir que é homem e completar a felicidade da Céu. Ela se redimiu, está feliz. O filho bem que podia ser dele. Vou descansar, quero dar uma parada, viajar, estudar”.

 


04
Jan 09

Nem mesmo as malvadezas de Flora - personagem de Patrícia Pillar na novela "A Favorita" - afasta os fãs da actriz global. Durante um intervalo na gravação de uma cena na Cinelândia, bairro boêmio do Rio neste sábado 3, Pillar distribuiu sorrisos e tirou fotos com fãs, mostrando que é muito diferente da ficção.Carlos Zambrotti/Ag. News

Os colegas de elenco Claudia Raia e Carmo Dalla Vecchia também participaram da gravação e aproveitaram um intervalo para bater papo e tomar um cafezinho.Carlos Zambrotti/Ag. News

Durante as gravações de "A Favorita" nesta sexta, 2, o actor Carmo Dalla Vecchia deixou sua cuequinha à mostra ao fazer carinho num gato. O actor gravava uma cena em que pegava um táxi, e nos intervalos, ficou entretido com o bichano que passeava pela portaria de um prédio na Barra da Tijuca. Murilo Benício também participou da mesma gravação, mas em cenas diferentes.Wallace Barbosa/Ag News

O Dodi já mudou o visual de novo!

Wallace Barbosa/Ag News


23
Dez 08

Zé Bob (Carmo Dalla Vecchia) passará por um momento delicado na sua vida, isso porque o jornalista vai se deparar com a fiel companheira, a cadela Vilma, morta em seu apartamento.

A crueldade é executada por Dodi (Murilo Benício), que a mando de Flora (Patrícia Pillar) tenta fazer com que Zé Bob deixe de investigar as armações dos vilões da trama.

O malandro invade o apartamento do jornalista e mata o animal de estimação do rival com uma comida envenenada. Além disso, ele deixa um recado ameaçador na parede dizendo que se Zé não parar vai acabar igual a Vilma!

Claudia Raia: de mãe para filhaTambém quero desejar os parabéns à nossa Donatela, Claudia Raia que hoje sim faz 42 anos! Muitas felicidades e sucesso! Fica aqui um homenagem que o Video Show fez para ela que eu achei muito bonita.

publicado por Tititi às 18:30

21
Dez 08

Foi com bastante animação que a actriz Claudia Raia comentou com sua colega de novela Giulia Gam, sobre o presente que recebeu de Mônica Torres, esposa do actor Marcello Antony: “Eu ganhei um vestido lindo e agora uma máquina de lavar peças íntimas, presente especial da Mônica que eu pretendo usar muito”, comentou Claudia que comemorou os seus 42 anos na noite desta sexta-feira, 19, num restaurante na Zona Sul do Rio.
Aproveitando que o restaurante era localizado dentro de um shopping, alguns convidados compraram os presentes minutos antes de chegar para a festa. A actriz Giulia Gam, por exemplo, resolveu apostar em uma lembrancinha para o casal: “Comprei um conjunto de calcinha e soutien que na verdade é um presente para ela e o Edson Celulari”, disse.

Juliana Rezende/EGOGulia Gam, que contracena com Claudia na novela A Favorita, foi uma das primeiras a chegar, e não se conteve em elogios para a amiga.

“A Claudia é um amor. Trabalhei muito com o Edson e acompanhei todo o processo de casamento e filhos, mas essa é a primeira vez que trabalhamos juntas. Ela é carismática, mãezona, levanta o astral de todos. Uma líder”, disse a actriz.

A dulpa de veteranos Mauro Mendonça e Rosamaria Murtinho escolheu um conjunto de pulseira e colar feitos em acrílico.

No decorrer do jantar, organizado por Edson Celulari, os convidados assitiram a uma homenagem prestada por Enzo, filho mais velho da aniversariante. Ao lado do cantor e compositor Antonio Villeroy, o menino prodígio tocou instrumentos de percussão: “Somos uma família muito musical em todos os sentidos e fico bastante orgulhosa com o cresimento artístico dos meus filhos”, destacou a mamãe coruja. 

Murilo Benício, com o novo visual blonde, também foi prestigiar a actriz e falou sobre sua alegria.

“Ela é hilária, uma irmã para gente. É a salvação das piores gravações, está sempre sorrindo. Nossa inspiração mesmo”.

Mariana Ximenes e Ary FontouraOutro integrante do elenco de A Favorita que marcou presença foi Ary Fontoura, e ressaltou o lado maternal de Claudia.

“Já tínhamos trabalhado juntos, mas agora estou descobrindo um novo lado dela: o lado materno. Acho que toda mãe que é mãe do jeito da Claudia merece muito respeito e admiração. E ela tem o meu”, pontuou.

Mariana Ximenez, que vive a personagem Lara, filha de Claudia, chamou bastante a atenção de todos por conta de um decote bem ousado que mostrou a boa forma da actriz: “Ela é minha mãe querida, estou muito feliz com esse encontro na novela”, disse Ximenez que foi embora antes do jantar ser servido.
Enquanto a intérprete de Lara esbanjava simpatia e sensualidade, Patrícia Pillar parecia não estar no seu melhor dia. Logo na entrada, ao avistar os fotógrafos, comentou com o marido Ciro Gomes que não queria ser clicada. Antes de atravessar o cordão de isolamento formado pelos seguranças, Patrícia foi aborada pelos jornalistas e disse sorrindo: “Hoje eu não quero falar”.
Mas tudo não passou mesmo de um momento ruim da actriz. O humor ácido de Flora foi substituído pelo carisma de Patrícia que ao deixar o restaurante, brincou com os fotógrafos: “Gente, vocês não ficam cansados, né?” e saiu em direção ao carro.

Só conseguimos falar com a aniversariante no final da comemoração, por volta de 2 horas. Ela contou que amou a festa e que não suspeitou nem um pouquinho da surpresa preparada por Edson, pois estava atolada de trabalho e havia gravado 20 cenas durante o dia todo. “Foi um jantar íntimo, para poucas pessoas, em que pudemos ficar mais a vontade, dar uma relaxada. Não sabia de nada, ainda mais pelo facto de ser antecipado. Estava gravando com todo mundo e não desconfiei de nada. Um bando de cínicos”, brincou a actriz, que posou para fotos ao lado de Edson, Enzo e da pequena Sophia.

Claudia Raia, que na realidade faz aniversário dia 23 de dezembro, ainda comentou sobre seu “trauma” de infância.

“Comemorar antes é bom, porque geralmente as pessoas estão assando peru de Natal e eu fazendo festa de aniversário. Aí fica complicado”, brincou Claudia.

 

Sobre a possibilidade do terceiro filho agora, ela já descartou. "Preciso de uns 4 meses para descansar e não pensar em nada. Fiz um trabalho profundo com essa personagem complexa e intensa, totalmente diferente de mim, que sou alegre e leve. Ter filho agora é como não dar uma pausa entre uma novela das 8 e a outra". brincou a actriz.

 

No cardápio da festa, caldinho de feijão, rocambole de salmão, bife de chouriço e risoto de camarão, prato preferido da actriz, e que leva seu nome no restaurante.

Faltava pouco para as duas da manhã quando o parabéns foi cantado e um bolo especial foi servido para as cerca de 100 pessoas convidadas. Tratava-se do Bûche Noël, uma espécie de rocambole feito com pão de ló, coberto com chocolate com creme de manteiga.

Ney Latorraca, Miguel Falabella, Tony Ramos e Lidiane, Lilia Cabral, Angela Vieira, Mauro Mendonça, e Rosamaria Murtinho também fizeram questão de sair um abraço em Claudia Raia.

 


15
Dez 08

Deborah Secco e Taís Araújo no show da diva popO casal Zé Bob e Donatella trocando cochichos ao pé do ouvido durante o show de Madonna no Maracanã? Calma! Eles não fugiram da fictícia Triunfo e foram para o Rio de Janeiro assistir à Rainha do Pop. Trata-se apenas do flagra do bate-papo dos colegas de elenco em "A Favorita" Cláudia Raia e Carmo Dalla Vechia. Eles se encontraram no camarote da Renner para asssitir ao show de Madonna. Cláudia, musa do camarote neste domingo, 14, levou o marido, Edson Celulari, e o filho mais velho, Enzo, para o show. Cláudia e Carmo não eram, aliás, os únicos integrantes da novela das oito no Maracanã: o autor, João Emanuel Carneiro, e a actriz Deborah Secco, a Céu, também foram ver o espetáculo da turnê "Sticky & Sweet".

Ary Fontoura foi outro veterano que marcou presença e esbarrou com Enzo, filho mais velho de Cláudia Raia e Edson Celulari, de 11 anos, que não quis ficar em casa e foi assistir à apresentação da diva do pop, mostrando que Madonna é para todas as idades.

Lília Cabral preferiu não desgrudar do guarda-chuva e conferiu a apresentação bem sequinha. A atriz, aliás, aproveitou o encontro com Cláudia Raia para tietar a amiga, que também está no ar na novela A Favorita. Ao avistar Cláudia, a actriz começou a dar gritinhos:

“Você é minha favorita. Minha favorita!”, dizia a intérprete de Catarina, da mesma novela, ao que a atriz respondeu:

“Você que é minha favorita, meu amor”, falou Raia, sorridente.

Roberto TeixeiraCleomir TavaresJuliana Rezende/Globo.comJuliana Rezende/Globo.com


14
Dez 08

Ontem o Brasil todo acompanhou um capítulo electrizante de A Favorita, de uma qualidade comparável aos melhores filmes de terror, drama e suspense do exterior.
Uma seqüência que somente poderia ter sido criada por um autor genial como João Emanuel Carneiro, o maior talento da nova geração e que provou merecer ocupar o seleto espaço de autores de novela das “oito”, o coringa da programação global.
Muito se fala sobre a Globo ser muito rígida e dificilmente abrir espaço para novos nomes, entretanto, somente neste ano, vimos o surgimento de Andrea Maltarolli com a deliciosa Beleza Pura, e, agora, a consagração de Carneiro, vindo de sucessos como Da Cor do Pecado e Cobras e Lagartos.
O que se observa, na verdade, é o que eu disse: muito se fala. Existe um ex co-autor e roteirista da Rede Globo que vive dizendo isso, por exemplo. Deu sorte em um outro canal, e, no auge de sua prepotência, acreditou que seu “fenômeno” de novela bateria de frente com A Favorita, trama que apelidou carinhosamente de A Rejeitada. Mas ele não contava com a astúcia de um homem que nem era o Chapolin Colorado.
Ele e outros mais decretaram o fim da trama logo que foi revelado o nome da assassina, pois acreditaram que assim acabaria o suspense e o interesse do público, e, claro, a criatividade do autor. Não foi o que ocorreu. A genialidade de Carneiro deu espaço a todos os núcleos do folhetim, e não somente ao policial, como ocorria antes, trouxe novas histórias e temáticas e fez que, além da dupla Claudia Raia e Patrícia Pillar, Lilia Cabral brilhasse mais uma vez. Três atrizes que desempenharam tão bem seus papéis que dificultam a escolha de melhor atriz do ano.
Também trouxe um elenco fenomemal de monstros sagrados que proporcionaram interpretações de babar. Glória Menezes, Suzana Faini, Tarcício Meira, Mauro Mendonça, Ary Fontoura, Genésio de Barros e Milton Gonçalves. Esse pessoal mostrou o que é atuar de verdade.
E, nos últimos capítulos, especialmente Mauro Mendonça. Apenas com uso de expressões faciais mostrou todo o pavor de Gonçalo ao descobrir a verdade sobre Flora e também o ódio ao desmascará-la em um capítulo tão redondo quanto o de ontem. Gonçalo morreu, mas, antes, lavou sua alma, disse tudo o que a vilã precisava ouvir, e, o melhor de tudo, fazendo uso do mesmo deboche com o qual ela lidou com a família Fontini todo esse tempo. E, agora, antes de ser desmascarada, a vilã loira ainda irá aprontar muito neste último mês de A Favorita que promete ferver.
O engraçado é alguns críticos dizendo que Flora e Donatela deixaram de ser dúbias. Vocês não assistem a novela? Ontem, inclusive, mesmo sendo a vilã, Flora continuava jogando como a boazinha da história, e, Donatela, segue como sempre fez: se fazendo de coitada e culpando Flora. Ou seja, não tivesse Carneiro revelado a assassina logo no início, ainda hoje a dúvida pairava no ar, pois todos seríamos Irenes.
Agora, Endrigo, o que você quis dizer lá em cima ao comentar que certo autor não teve uma grande oportunidade na Globo? Quis dizer tudo, afinal de contas, a Globo teve todos os motivos do mundo para não dá-la a uma pessoa que escreve uma porcaria de novela como Os Mutantes e ainda se acha o rei da cocada preta.
O mais engraçado? Essa mesma pessoa que dizia que iria ter a primeira novela a desbancar a novela das oito da Globo, no auge dos 24 pontos, hoje briga com colunista em seu blog. Patrícia Kogut disse em sua coluna que ele dá dez e ele retruca dizendo que dá 12 pontos de audiência. De qualquer forma, 12, é metade de 24, e, enquanto ele vê sua trama agonizando em público, A Favorita segue dando mais de 45. Mesmo não sendo a maior audiência da história da TV, oferece algo superior, que é uma história de verdade e não um troço sem pé nem cabeça, o que faz total sentido, afinal, na novela do outro tem até a mula.
Enfim, parabéns João Emanuel Carneiro, mais uma vez. Um autor de verdade.

 

Por Endrigo Annyston
www.cenaaberta.tv

Eheh toma lá Tiago Santiago! Ele achava que aquela porcaria dos Mutantes ia incomodar A Favorita. Se incomodou foi só mesmo na estreia, porque de alguns meses para cá nem se ouve falar em tal bizarrice que é aquela novela horrível que eu nem aguentei assitir durante 10 minutos. Coisa mais estapafúrdia nunca vi, eu tinha vergonha de escrever uma novela assim. Ele que olhe e aprenda como é que se escreve uma novela como A Favorita. Sou da mesma opinião deste colunista, A Favorita é a melhor novela que eu já vi só tenho pena de estar a pouco mais de um mês do fim... Está mesmo difícil de escolher entre essas 3 maravilhosas actrizes que nos vêm presenteando com representações nota 20 nesta novela!


10
Dez 08

Que a Flora merece um castigo bem dado, todo mundo sabe. A vilã pintou e bordou em A Favorita.

No início, ela tinha aquele jeitinho bonzinho que enganou muita gente, mas, com o passar do tempo, as máscaras foram caindo e Flora se revelou um ser maquiavélico de primeira.

Maltratou, humilhou, roubou, chantageou, matou... A lista de maldades da loura não tem fim. Se ela fosse receber um castigo que equivalesse as suas ruindades, o inferno seria pouco.

Será que existe um castigo ideal para a Flora? Aquele que a fizesse sentir e pagar por todo mal que a megera causou?

O elenco da novela já sabe! Confira abaixo a opinião dos famosos!

DonatelaCláudia Raia
“Acho que ela tem que sofrer muito, mas não morrer. A morte é uma redenção e não temos certeza se ela vai mesmo para o inferno. Então, acho que ela tem que receber um bom castigo aqui mesmo. E o maior castigo ela vai receber da Donatela.”

Título da MatériaPatricia Pillar
“Não consigo imaginar um castigo que esteja à altura das maldades que a Flora faz. Mas tenho certeza de que o autor vai pensar em uma surpresa muito boa.”

Cauã Reymond
“Existe um castigo ideal para a Flora? Nada do que ela receber vai ser suficiente. Na minha opinião, não existe um castigo ideal.”

Shiva LêninMiguel Rômulo
“Eu acho que a Flora deveria ser presa, sofrer na cadeia, nas mãos da Zezé, para ela ver como é bom! Ela também podia ficar feia, careca e barriguda (risos). Mas, que ela tinha que permanecer na cadeia, isso ela tinha! Morrer, para ela, é pouco. Ela tinha que sentir na pele tudo de mal que fez para os outros.”

CamilaHanna Romanazzi
“A Flora tinha que pegar prisão perpétua. Ficar na cadeia para sempre e deixar todo mundo em paz. Na prisão ela vai se sentir sozinha e isso já basta!”

TucaRosi Campos
“A gente imagina vários finais para ela. Mas morrer talvez não seja o pior. Fico pensando em um isolamento total, algo que a fizesse sofrer muito. Porque, nesta circunstância, ela já vai estar mal mesmo. E tudo isso gera uma consequência, como doença, loucura e várias outras coisas.”

DivaGiulia Gam
“Eu largaria a Flora naquelas cordas que vão descendo de cabeça para baixo, as paredes se fechando, no escuro e, para completar, todo mundo assistindo lá embaixo dando muita gargalhada. Acho que o público ia amar ver a vilã passando este sufoco! (risos) Agora, morrer é muito pouco, nem a própria Donatela ia gostar!”

PedroGenézio de Barros
“Ela tinha que ficar cega e pobre. Ia ser a morte para a Flora ter que depender de todo mundo. Logo ela, que é tão auto-suficiente e cheia de si. A morte é muito pouco e fácil. Morre e acaba. E todo o resto? Todo mundo que ela fez sofrer? Como é que fica? Ela tem que sofrer mesmo!”

Hoje lembrei-me de pôr os resultados até hoje de uma enquete que pus num post sobre os apelidos que a Flora chama às personagens. A enquete continua lá, mas os votos a partir de agora não contam mais. Faz hoje precisamente 1 mês que postei a enquete e ela conseguiu 111 votos. O apelido preferido do público foi "velha sem vergonha" que Flora chama a Irene, com 21% dos votos!

  • Velha sem vergonha (Irene) - 21%
  • Vaquinha (Lara) - 14%
  • Purgante (Lara) - 12%
  • Velho babão (Gonçalo) - 10%
  • Donatelinha (Lara) - 10%
  • Pata-choca (Lara) - 9%
  • Pentelha (Lara) - 5%
  • Boboquinha (Lara) - 5%
  • Velho caquético (Copola) - 5%
  • Marginalzinho de quinta (Halley) - 5%
  • Mimadinha fofoqueira (Lara) - 4%


07
Nov 08

Carmo Dalla Vecchia e Claudia Raia na minissérie 'Engraçadinha' - Foto: Reprodução de TVVendo Donatela e Zé Bob tão apaixonados em "A favorita", fica difícil imaginar os actores Claudia Raia e Carmo Dalla Vecchia como outra coisa que não um casal. Só que, há 13 anos, os dois já foram mãe e filho, na minissérie "Engraçadinha". Na pele de Durval, o actor fazia sua estreia na televisão.

Hoje, a mudança de papéis diverte Carmo. Ele lembra que o personagem na minissérie tinha complexo de Édipo (segundo a psicanálise, quando o filho sente desejo pela mãe).

— Durval acabou concretizando seu sonho, já que o seu comportamento sugeria que ele era apaixonado pela Engraçadinha — brinca o actor.

Carmo relembra que, quando encontrou Claudia, logo no início das gravações da novela das oito, os dois riram da situação:

— Achamos engraçado a nova condição dos nossos personagens.

O curioso é que, pela diferença de idade dos atores, eles não poderiam de jeito nenhum terem sido mãe e filho: Carmo tem 38 anos e Claudia, 42.

— É verdade! Mesmo Engraçadinha tendo engravidado muito nova, em condições normais, nunca seria possível. O que não faz a ficção, não é? — diverte-se Carmo, que só tem boas lembranças da actriz nos bastidores da minissérie:

— Claudia sempre foi carinhosa, tinha um cuidado grande com os colegas, além de ser muito divertida. Como era meu primeiro trabalho, e a gente contracenava bastante, ela me dava toques e me acalmava quando eu ficava nervoso. Foi e é uma grande parceira.

História bastante engraçada hein? A personagem do Carmo tinha complexo de Édipo e agora concretizou o sonho de ter uma relação com a "mãe"! Essa parte foi mal feita, ela nunca poderia ser mãe dele, são só 4 anos de diferença!


Músicas


pesquisar neste blog
 
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
20
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


O elenco
Enquete
Resultado da 1ª enquete: Quem está falando a verdade? Donatela 66% | Flora 34% | 228 votos Resultado da 2ª enquete: Halley ama Lara de verdade? Sim 50% | Não 22% | Nem ele sabe 28% | 208 votos Resultados da 3ª enquete: Com quem Cassiano deve ficar? Alícia 40% | Lara 38% | Céu 27% | 244 votos Resultados da 4ª enquete: Qual dos vilões deve morrer? Flora 51% | Os três 21% | Dodi 18% | Silveirinha 10% | 312 votos Resultados da 5ª enquete: Catarina fica com... Vanderlei 43% | Stela 41% | Sozinha 15% | Leo 1% | 130 votos
Links



That's So Raven Blogando! Assece Já!
blogs SAPO