23
Fev 09

O maior destaque foi sem dúvida a vilã Flora vivida por Patrícia Pillar que fez sucesso até na internet com versões hilárias do hit "Beijinho Doce".

 

 

 

 

 

 

 

A outra protagonista, Donatela vivida por Claudia Raia, também se destacou ao ponto de provar que Claudia não tem talento só para as personagens cómicas, encarnando desta vez uma mocinha que não se fez de coitadinha e também teve seus pecados.

Murilo Benício e os veteranos Ary Fontoura, Lília Cabral, Jackson Antunes, Suzana Faini, Milton Gonçalves, Mauro Mendonça e o casal Glória e Tarcísio mais uma vez deram um show de interpretação.

Com Halley, Cauã Reymond deu provas do seu talento em papéis dramáticos e não apenas nas personagens bad boy.

Iran Malfitano, o Orlandinho, iria fazer apenas uma pequena participação na novela, mas a sua personagem foi tão acarinhada e fez tanto sucesso que ela acabou ficando até ao fim.

Aqueles que serão sempre lembrados (além dos que estão acima):

  • Emanuelle Araújo (Manu) - a garota de programa confirmou o talento na cantora também na representação.
  • Gisele Fróes (Lorena) - passou a ser conhecida também na televisão com uma personagem que soube aproveitar.
  • Miguel Rômulo (Shiva) - inesquecível nas suas cenas dramáticas ao lado de José Mayer e Claudia Raia.
  • Genézio de Barros (Pedro) - brilhante interpretação do actor que até incutiu tiques na personagem.

Aqueles que não brilharam:

  • Ângela Vieira (Arlete) - practicamente não teve história, foi apenas "a secretária".
  • Taís Araújo (Alícia) - depois de Preta e Ellen nas outras novelas de Carneiro, Taís merecia uma personagem com mais destaque.
  • Chico Diaz (Átila) - poco aconteceu de relevante com este personagem.
  • Rosi Campos (Tuca) - outra personagem que não teve uma história para lembrar.
  • José Mayer (Augusto) - apesar do esforço do actor, o personagem não se adaptou a ele.
  • Christine Fernandes (Rita) - a actriz merecia mais destaque, coisa que não lhe têm dado na Globo.

As revelações:

  • Leonardo Medeiros (Elias)
  • Fabrício Boliveira (Didu)
  • Alexandre Nero (Vanderlei)

Depois há aqueles que sempre ficam bem, Mariana Ximenes, Deborah Secco, Paula Burlamaqui, Malvino Salvador, Cláudia Ohana, Elizângela, Helena Ranaldi e Giulia Gam.

Há uma personagem que eu não gostei: o Cassiano. Personagem chatíssimo, meloso e repetitivo.

Houveram várias críticas a Carmo Dalla Vecchia (Zé Bob) que diziam que era uma personagem demasiado importante para um actor que fez tão poucas novelas, também que ser o par romântico de Claudia Raia era muita areia para o seu camião e que o casal não tinha química. Eu não acho.


03
Fev 09

Já que no fim-de-semana me adiantei um pouco na postagem dos acontecimentos da novela que nem sequer deram ontem, mas sim hoje vão dar (Donatela assombra Flora e depois aparece para ela), ficam aqui mais uns actores que se despedem do público e as reportagens que o Video Show fez no ínicio da novela.


08
Set 08

Num papo delicioso e cheio de novidades, o autor de A Favorita, João Emanuel Carneiro, fala do desafio diário de escrever uma novela das 9. E, sobretudo, da polêmica que causou ao declarar Flora, de Patrícia Pillar, como a verdadeira bandida da história. Muita gente reclamou, mas o "pai" da vilã e da vítima Donatela, de Claudia Raia, está adorando toda essa reviravolta que provocou na trama e que fez a audiência subir. Prepare-se para muitas outras surpresas e revelações desse jovem e talentoso escritor.

tititi - Quando você escolheu quem seria a assassina de A Favorita?
João Emanuel Carneiro - Logo que a novela entrou no ar. Optei pela Flora porque achei que seria mais instigante e justificaria toda a perseguição da Donatela. Ficaria muito óbvio se a Flora fosse inocente, já que passou 18 anos presa. Era fácil para o público gostar mais dela no início porque saiu da cadeia com o discurso de que foi presa injustamente... E a Donatela era aquela mocinha politicamente incorreta, que apesar de estar com a razão, cometia atitudes politicamente incorretas.

Antes da estréia da novela, entrevistei a Claudia e a Patrícia e ambas defendiam com unhas e dentes a inocência de suas personagens. Quando você contou a elas quem seria a assassina como reagiram?
Contei logo depois que decidi. Acho que criei um problemão para as duas e para mim também porque imaginava que seria xingado, odiado no lugar da Flora, até então a favorita do telespectador. Quanto a Patrícia e a Claudia, apesar de defenderem suas personagens, senti ambas muito entregues à história, à minha decisão. Foram superprofissionais e continuaram a defender os papéis com muita garra. Foi um segredo muito bem guardado. Aliás, contei para as duas e para o Ricardo Waddington (diretor). Dois meses depois da estréia, revelei também para o Ary (Fontoura, o Silveirinha). Até para a minha família, contei só para umas três pessoas. É o tipo de segredo que não dá para espalhar (risos).

Você sabe que muita gente ficou brava com você por causa da Flora ser a bandida, né?
Sei, mas meu desafio como escritor é desafiar as pessoas, é realmente trazer problemas para minha vida (risos). Acho que a motivação do público para continuar assistindo à novela é justamente o fato de ter sido provocado, desafiado, enganado e agredido pela Flora. Eu também fui (risos). Todo mundo vai querer ver o que vai acontecer com essa mulher e o que a Donatela, que foi presa injustamente, vai fazer para provar sua inocência e fazer justiça.

Flora vai se revelar talvez a mais terrível vilã de novelas de todos os tempos...
É... ela é terrível (risos). Após matar a Maíra (Juliana Paes) ainda vai aprontar muito... Nesse meio tempo insistirá em conquistar o carinho da Lara (Mariana Ximenes). Mas ela nunca vai gostar da Flora e nem considerá-la sua mãe.

Nós publicamos uma capa adiantando que o Zé Bob está marcado para morrer. Você confirma?
O Zé Bob (Carmo Dalla Vecchia) é a bola da vez, ele corre um sério perigo!

E a Cilene?
Só posso dizer que a Cilene (Elizangela) tem muitos segredos.

E o que dá para antecipar sobre a Donatela?
Além de fugitiva da polícia, ela fica pobre. Acredito que isso atrairá a simpatia do público para ela. Descobri que as pessoas não aceitam uma heroína rica. Até minha empregada se revoltou quando ficou sabendo que a Donatela tinha 22 milhões de dólares na conta bancária. Se eu soubesse disto antes teria colocado só 2 milhões, não tinha exagerado tanto na fortuna da Donatela. Mas ela vai perder tudo (risos).

É, mas ela vai ter um belo romance com o Augusto César (José Mayer)...
É verdade!

Pessoalmente, adoro a Donatela, mas ela é uma mocinha bem atípica, não?
Eu queria, mesmo, uma mocinha fora dos padrões. Todo mundo reclama das mocinhas chorosas, água-com-açúcar, mas quando coloco uma diferente, o público também reclama. A Donatela também tem um elemento muito provocador que é o fato de não ser filha de sangue, mas ser a preferida do pai da Flora, que a adotou. Na vida real se vê muito disso, laços de amor mais fortes que os de sangue, mas na ficção isso não é aceito. É curioso...

Você mudou ou antecipou tramas em função de audiência?
De jeito nenhum. Já estava tudo programado. Em agosto eu tinha planejado revelar a assassina. Se você observar minhas outras duas novelas anteriores, constata que elas tiveram essa virada, esse recomeço dois meses depois do início. Da Cor do Pecado (2004) foi a partir da descoberta do avô, feito por Lima Duarte, que tinha um neto. E em Cobras e Lagartos (2006), a partir da ascensão do Foguinho, personagem de Lázaro Ramos. Gosto dessas viradas até para me estimular, porque oito meses de novela é um tempo muito longo. Gosto de subverter a ordem das coisas, de desafios.

Como você avalia o elenco de A Favorita?
Acertamos a mão com ele. Muitos actores me surpreenderam, e posso citar a Gisele Fróes (Lorena), não conhecia o trabalho dela, mas é uma atriz muito boa. Aliás, ela vai descobrir o caso do marido com a irmã (a Cida, feita por Cláudia Ohana, que, aliás, é irmã de João Emanuel), mas vai manter o casamento. Eu gosto muito dela e do Chico Diaz enquanto casal.

E aí, no final você pretende unir os personagens da Glória e do Tarcísio?
Pretendo. Eles vão ter um romance, um amor na terceira idade e darão muito trabalho para o Gonçalo (Mauro Mendonça) e a Iolanda (Susana Faini) (risos).


05
Ago 08

De Marcio Magalhães Ribeiro
"Já era de se esperar pela grande cena do ator Nelson Xavier, tdo li estava perfeito até mesmo o exagero da intepretação de Debora Seco. Nota 1000 para o ator a cena e para a novela "A Favorita"."

De Antina
"Realmente a cena foi o máximo, super real o atropelamento e o Nelson Xavier dispensa comentários.
E pra completar a cena que passou ontem da filha dele, a Greice, correndo desesperado quando viu o corpo do pai, também foi emocionante e valeu uma nota 10 para a atriz!!!"

De Maria Cecilia Sa Peixoto
"Nelson esteve ótimo como Edivaldo. A cena do atropelamento foi um desfecho brilhante para uma performance irretocável. A notar a diferença de atuação entre as duas filhas de Edivaldo/Nelson, Céu/Secco e Greice/Roberta Gualda. Uma, a atriz inventada, que apenas performa, a outra, a absoluta entrega à personagem, o olhar que diz tudo, o grito visceral."

De Rodolfo Costa dos Santos
"A performance de Nelson Xavier foi incomparável! E o que dizer de Deborah Secco? Esteve simplesmente perfeita! Incrível como a atuação desses atores foi capaz de me prender durante toda a cena, tive até a impressão de estar ali, presente, degustando cada fala e emoção. Sensacional! "A favorita" é mesmo imbatível! Parabéns, Rede Globo!"

TV GLOBO / Renato Rocha Miranda

De LucianFreudrs
"Finalmente a audiência de a Favorita cresceu, em reconhecimento ao excelente trabaho da equipe. A audiência de Mutantes deve cair mais, pois a história se perdeu, e hoje é uma colcha de retalhos de refêrecias Pop, alías, seguindo a tendência da Record, um amalgamado de cópias de outros canais, principalmente a Globo.

De Rafael Teixeira
"Se a Flora for a vilã, a Donatela tinha motivos de sobra pra fazer oq fez. E as coisas que a Flora vem fazendo? Num contam não? Donatela TEM q ser a mocinha da novela,o contrário não teria graça."

De Rodolfo Costa dos Santos
"Já conhecia o trabalho do ator Fabrício Boliveira desde “Sinhá Moça”, quando este foi intérprete do personagem ‘Bastião’. Confesso que no início de “A Favorita” não achava o seu personagem (Diduzinho) capaz de convencer - o rapaz era submisso, sem personalidade frente ao pai (Romildo Rosa), interpretado pelo brilhante Milton Gonçalves. Porém, desde a sua desistência política e, conseqüente aproximação da personagem de Christine Fernandes (Rita), essa realidade parece ter mudado definitivamente. Gosto de ver quando ‘Diduzinho’ se impõe e demonstra ao pai que está verdadeiramente disposto a mudar. Fabrício Boliveira tem cedido ao seu personagem um frescor incomparável. Parabéns!"

De Maria José Bove
"O ator é excepcional... está fazendo com muito realismo.. as recaídas são normais, se isto vier a acontecer... E atuando do lado de Milton, Cristiane e Thais está fabuloso, a altura dos outros que são espetaculares...

De Lupebe
"Va em frente! Vc é um ator e tanto. E charmosissimo. Queria eu ter um Didu na minha vida. O autor deve aprofundar o romance com a Rita. Estao batendo um bolao. Parabens, Fabricio!"

De Jorge Luiz Carneiro de Araujo
"Merecidíssima a nota 10 para Roberta Gualda. Eu só pude assistir ao capítulo ontem e tanto a cena do atropelamento, como a interpretação da atriz foi sensacional. A seguência das cenas também foram belíssimas (me refiro a cena do enterro e a expulsão da Sol de casa). Aliás, que novela é essa?????????? A cada cena, um show de interpretações. Texto primorosos, imagens belíssimas, enquadramentos perfeitos e trilha sonora impecável. Todos os envolvidos estão de parabéns. E que venha a 2ª fase!!!!!!"

De André Henrique Lopes Martins
"É muito bom saber que o casamento de Átila (Chico Diaz) e Lorena (Gisele Fróes) será preservado. O sensível texto de João Emanuel Carneiro e a brilhante atuação dos atores fez dos personagens os mais carismáticos e próximos do público. São gente como a gente."

Cometários tirados de http://oglobo.globo.com/cultura/kogut/


28
Jul 08

A caminhoneira Cida (Cláudia Ohana) entrou na novela "A Favorita", da Globo, guardando um segredo. De volta à sua casa, ela foi recebida com entusiasmo pelo pai, Copola (Tarcísio Meira), mas sua mãe, Iolanda (Suzana Faini), não escondeu a revolta com a sua chegada.

Ela teve uma recepção ríspida por conta de seu passado: Cida teve um caso com Átila (Chico Diaz), marido de sua irmã Lorena (Gisele Fróes).

Ao se encontrarem, Átila pergunta para a ex se ainda gosta dele e diz que não consegue parar de pensar nela. Em um sarau na casa de Copola, tenta beijá-la e o anfitrião observa tudo.

Nesta reunião, Leonardo (Jackson Antunes) dá em cima de Cida e tem uma discussão com Átila por ciúmes. Antes de ir à casa do sogro, Léo proíbe a esposa, Catarina (Lilia Cabral), de frequentar o sarau na casa do pai.

 

Na vida real
Assim como na novela, o drama que Cida, Átila e Lorena vivem também acontece na vida real. “Conheço casos assim, que o marido separou e ficou com a irmã. É uma situação muito complicada”, diz Claudia Ohana.

Mas a actriz tem uma explicação para isso: “Na verdade, todo mundo gosta do que é proibido, isso nós sabemos. Se não fosse uma paixão proibida, talvez não tivesse graça”.

Chico Diaz se considera um homem racional e com pé no chão. Para ele, é preciso calma diante de um assunto como esse. “Nessa idade, não dá para fazer as coisas sem pensar nas conseqüências. Quando existe um casamento sólido, um filho, tem muita coisa em jogo”, explica o actor.

Mas para Gisele Fróes, quando acontece uma paixão daquelas, não existe regra. “No caso do Átila, pelo caráter dele, acredito que ele não vá fazer nenhuma loucura. Mas existem homens que chutam o balde na vida real e largam tudo para viver uma paixão, é uma situação difícil”, opina Gisele.

Para Chico Diaz não é fácil interpretar um homem divido entre duas mulheres, é preciso um bom trabalho de actor. “Para mim, foi uma surpresa esse amor antigo pela Cida, porque o Átila possuía o perfil de um ótimo marido e, de repente, tudo mudou. Está sendo um exercício de actor muito grande, já que ele começou com uma imagem e agora está mudando e preciso acompanhar isso. A chegada de Cida reascendeu esse fogo adormecido, mas acho que ele ama a Lorena”, diz o actor.

Claudia Ohana defende sua personagem: “Existe sim uma atração muito forte entre eles, mas a Cida está rejeitando, porque sabe do laço que existe na família. Ela não quer ser culpada pela destruição do casamento da irmã e vai resistir o máximo que puder. E espero que ela resista mesmo, pois estou com medo das pessoas ficarem com raiva da Cida (risos)” brinca a actriz.

Gisele Fróes considera que ser enganada é o pior. Para ela, a verdade sempre é a melhor solução. “Eu torço para que a Lorena descubra logo, mas não faço a menor idéia de como ela reagiria, porque apesar de ela ser uma mulher pé no chão, o ser humano é imprevisível, ainda mais quando se trata de relacionamento amoroso”, conclui a actriz.Título da Matéria


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
20
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


Enquete
Resultado da 1ª enquete: Quem está falando a verdade? Donatela 66% | Flora 34% | 228 votos Resultado da 2ª enquete: Halley ama Lara de verdade? Sim 50% | Não 22% | Nem ele sabe 28% | 208 votos Resultados da 3ª enquete: Com quem Cassiano deve ficar? Alícia 40% | Lara 38% | Céu 27% | 244 votos Resultados da 4ª enquete: Qual dos vilões deve morrer? Flora 51% | Os três 21% | Dodi 18% | Silveirinha 10% | 312 votos Resultados da 5ª enquete: Catarina fica com... Vanderlei 43% | Stela 41% | Sozinha 15% | Leo 1% | 130 votos
blogs SAPO