19
Mai 09

No prémio Contigo! A Favorita só não arrecadou as estatuetas de Melhores Actrizes: Coadjuvante, Infantil e Revelação, contabilizando ao todo 8 prémios! Após Senhora do Destino, que conseguiu 9 prémios Contigo!, está A Favorita com 8 prémios Contigo! Vejam só que desde 2005 que não se conseguia esta quantidade!

Estes foram os prémios Contigo, porque A Favorita conseguiu mais 16 títulos, conseguindo no total dos totais 50 estatuetas! É definitivamente um marco na teledramaturgia, há anos que uma novela não conseguia tantos prémios! Agora ficam aqui as categorias ganhas no Contigo!

  • Melhor Novela
  • Melhor Autor - João Emanuel Carneiro
  • Melhor Director - Ricardo Waddington (não compareceu, o autor recebeu o prémio)
  • Melhor Actriz - Patrícia Pillar (não compareceu, Carmo Dalla Vecchia recebeu)
  • Melhor Actor - Cauã Reymond
  • Melhor Actor Coadjuvante - Ary Fontoura (não compareceu, Leandro Ribeiro recebeu)
  • Melhor Actor Revelação - Alexandre Nero
  • Melhor Actor Infantil - Eduardo Mello

Tânia Kalill entregou o prémio de Melhor Actor Coadjuvante a Leandro Ribeiro, pois Ary Fontoura está ausente em filmagem com o novo longa de Arnaldo Jabour.Eduardo Mello recebe o prémio das mãos de Jonatas FaroÍsis Valverde entregou o prémio a Alexandre NeroCarmo Dalla Vecchia recebeu o prémio de Patrícia Pillar que se encontra em Nova IorqueCarolina Ferraz entregou o troféu a CauãCamila Pitanga entrega o prémio de melhor director a João Emanuel, porque Ricardo Waddington está em viagem...... e sobe novamente para receber o seu prémio das mãos de Stênio GarciaMais uma vez o autor vai ao palco e chama o elenco presente para comemorar o título de Melhor Novela! (como podem ver, faltaram muitos actores nomeados para o prémio: Lília Cabral, Claudia Raia, Patrícia Pillar, Mariana Ximenes, Ary Fontoura, Murilo Benício..., resumindo, os protagonistas.)


22
Abr 09

A Favorita ficou com 3 nomeados de um total de 6 nas categorias mais importantes como Melhor Actor e Actriz e Melhor Actriz e Actriz Coadjuvantes! Isto é óptimo, quer dizer que dos 6 finalistas que o público escolheu, 3 são d'A Favorita. Também tem nomeados nas outras categorias, mas só 1 (também não tinha mais indicados, os que foram chegaram à final!). Com as setas estão os que eu acho + provável ganharem, não os que eu prefiro, atenção! Ora vejam:

Melhor Actriz, as mesmas 3 do Faustão:

  • Cláudia Raia - Donatela
  • Mariana Ximenes - Lara
  • Patrícia Pillar - Flora <-

Melhor Actriz Coadjuvante:

  • Deborah Secco - Céu
  • Glória Menezes - Irene
  • Lília Cabral - Catarina <-

Melhor Actor:

  • Carmo Dalla Vecchia - Zé Bob
  • Cauã Reymond - Halley/Mateus
  • Murilo Benício - Dodi <-

Melhor Actor Coadjuvante:

  • Ary Fontoura - Silveirinha
  • Iran Malfitano - Orlandinho
  • Jackson Antunes - Leo <-

Melhor Actor Revelação: Alexandre Nero - Vanderlei (Bento Ribeiro [Juca] e Jean Pierre Noher [Pepe] também estavam indicados)

Melhor Actriz Infantil: Hanna Romanazzi - Camila (única indicada da novela)

Melhor Actor Infantil: Eduardo Mello - Domênico (único indicado da novela)

Melhor Autor: João Emanuel CarneiroMelhor Director: Ricardo Waddington

Melhor Novela

A categoria Melhor Actriz Revelação é a única que não aparece, em que as indicadas eram Clarice Falcão (Mariana), Giovanna Ewbank (Sharon) e Docymar Moreira, a terrível Zezé.


23
Fev 09

O maior destaque foi sem dúvida a vilã Flora vivida por Patrícia Pillar que fez sucesso até na internet com versões hilárias do hit "Beijinho Doce".

 

 

 

 

 

 

 

A outra protagonista, Donatela vivida por Claudia Raia, também se destacou ao ponto de provar que Claudia não tem talento só para as personagens cómicas, encarnando desta vez uma mocinha que não se fez de coitadinha e também teve seus pecados.

Murilo Benício e os veteranos Ary Fontoura, Lília Cabral, Jackson Antunes, Suzana Faini, Milton Gonçalves, Mauro Mendonça e o casal Glória e Tarcísio mais uma vez deram um show de interpretação.

Com Halley, Cauã Reymond deu provas do seu talento em papéis dramáticos e não apenas nas personagens bad boy.

Iran Malfitano, o Orlandinho, iria fazer apenas uma pequena participação na novela, mas a sua personagem foi tão acarinhada e fez tanto sucesso que ela acabou ficando até ao fim.

Aqueles que serão sempre lembrados (além dos que estão acima):

  • Emanuelle Araújo (Manu) - a garota de programa confirmou o talento na cantora também na representação.
  • Gisele Fróes (Lorena) - passou a ser conhecida também na televisão com uma personagem que soube aproveitar.
  • Miguel Rômulo (Shiva) - inesquecível nas suas cenas dramáticas ao lado de José Mayer e Claudia Raia.
  • Genézio de Barros (Pedro) - brilhante interpretação do actor que até incutiu tiques na personagem.

Aqueles que não brilharam:

  • Ângela Vieira (Arlete) - practicamente não teve história, foi apenas "a secretária".
  • Taís Araújo (Alícia) - depois de Preta e Ellen nas outras novelas de Carneiro, Taís merecia uma personagem com mais destaque.
  • Chico Diaz (Átila) - poco aconteceu de relevante com este personagem.
  • Rosi Campos (Tuca) - outra personagem que não teve uma história para lembrar.
  • José Mayer (Augusto) - apesar do esforço do actor, o personagem não se adaptou a ele.
  • Christine Fernandes (Rita) - a actriz merecia mais destaque, coisa que não lhe têm dado na Globo.

As revelações:

  • Leonardo Medeiros (Elias)
  • Fabrício Boliveira (Didu)
  • Alexandre Nero (Vanderlei)

Depois há aqueles que sempre ficam bem, Mariana Ximenes, Deborah Secco, Paula Burlamaqui, Malvino Salvador, Cláudia Ohana, Elizângela, Helena Ranaldi e Giulia Gam.

Há uma personagem que eu não gostei: o Cassiano. Personagem chatíssimo, meloso e repetitivo.

Houveram várias críticas a Carmo Dalla Vecchia (Zé Bob) que diziam que era uma personagem demasiado importante para um actor que fez tão poucas novelas, também que ser o par romântico de Claudia Raia era muita areia para o seu camião e que o casal não tinha química. Eu não acho.


21
Fev 09

Claudia Raia, a Donatela, Patrícia Pillar, a terrível Flora, Mariana Ximenes, Lara, Carmo Dalla Vecchia, o jornalista Zé Bob, Cauã Reymond, Halley, Iran Malfitano, o Orlandinho, Deborah Secco, Céu e Thiago Rodrigues, o Cassiano escolhem as suas cenas favoritas!


02
Fev 09

Os actores falam ao Video Show sobre o sucesso e também da tristeza que fica quando um trabalho tão bem sucedido como este chega ao fim.

Afinal ontem não deu episódio nenhum, deu foi pela 3ª vez o resumo de toda a história, só que agora com novos acontecimentos. E já está confirmado que até ao fim A Favorita passa a dar às 22:30! Agora não há desculpas para não acompanharem, até quem não cnhecia passou a aconhecer com o resumo de ontem!

Aqui ficam também os parabéns a Paula Burlamaqui, Stela, pelos seus 42 anos!


10
Jan 09

Para 'voltar' a ser gay, Orlandinho vai fazer tratamento de choque, com ópera e música eletrônica, mas acaba a noite no forró com Céu.

Ao longo dos meses, Iran mudou de opinião e não defende mais final feliz entre Halley (Cauã Reymond) e seu personagem. "Não acho que ele tenha que ficar com o Halley. Na verdade, acredito que a única exigência do público é que ele termine bem, feliz", diz Iran, com a certeza de que os gays não ficarão decepcionados com Orlandinho.

Diretor do Mix Brasil, André Fischer também não se surpreende com o possível desfecho. "Não será surpresa. As novelas são caretas. Surpreendente seria se ele terminasse com o Halley. Feliz, casado e dando um beijo na boca", provoca André.

Depois é a vez de Céu ter seu ataque de ciúme. O casal está numa loja de gestantes escolhendo vestido para Céu. "O importante é que seja confortável. Porque bonita você fica de qualquer jeito", elogia ele. Os dois rasgam seda um para o outro, quando uma mulher bonita entra na loja. Céu vai para o provador e a mulher se aproxima: "Puxa, meus parabéns. É tão raro ver um homem acompanhar a esposa num momento como esse. Você deve ser muito especial". Jogando charme, Orlandinho dá corda. "Imagina, sou um cara como outro qualquer". "Ah, não é não. Pena que não dei a mesma sorte", diz ela. Orlandinho continua o papo. "Meu namorado terminou tudo depois que descobriu que eu estava grávida".

Orlandinho lamenta e Céu, ouvindo a conversa, sai gritando. "Não é porque você tomou um pé na bunda que pode se engraçar com o homem das outras. Sai pra lá, sirigaita. Vá caçar macho em outra freguesia", decreta Céu. "E o senhor estava todo derretido para essa lambisgóia. Olha aqui, se você der em cima de homem tudo bem, agora em cima de mulher eu não vou admitir", decreta. Horrorizado, Orlandinho garante ser gay.Céu se separa de Orlandinho

Não percam hoje no horário de A Favorita a estreia de Toma lá dá cá, é uma sitcom com Miguel Falabella, Adriana Esteves, Marisa Orth, Fernanda Souza, Arlete Salles, Ítalo Rossi e Diogo Vilela. É parecido ao Sai de Baixo que já deu na SIC, nãos e vão arrepender!

publicado por Tititi às 16:37

22
Dez 08

Os actores Deborah Secco e Iran Malfitano, da novela global A Favorita, desfilaram de carruagem na parada de Natal realizada na avenida Beira-Mar Norte, em Florianópolis, na noite deste sábado.

Cerca de 80 mil pessoas, segundo informações divulgadas pela Polícia Militar, estiveram na avenida acompanhando a Parada dos Sonhos, criada pela prefeitura local. O desfile contou a história do Natal e levou à avenida cerca de 70 personagens das histórias infantis.

Além dos atores globais, a Parada de Natal da capital catarinense contou com várias atrações. Bailarinas, integrantes de grupos de dança de rua, sapateado, patinação e até atletas olímpicas da seleção brasileira de ginástica ritmica, Luíza Matsuo e Nickolle Abreu.

Carros alegóricos trazendo um presépio gigante, uma casa de biscoito e o trenó do Papai Noel foram muito aplaudidos. Em meio aos carros, dezenas de gnomos, Papai Noéis, fadas, brinquedos e bonecos de neve mostraram danças coreografadas.

Déborah e Malfitano, que vivem Céu e Orlandinho na novela A Favorita, fecharam o desfile numa carruagem. Ela desfilava como Cinderela enquanto o actor representava o princípe da história. Eles acenaram e mandaram beijos e chegaram a descer da carruagem algumas vezes para saudar os fãs mais entusiasmados. "É um desfile mágico", disse a actriz.

A Parada dos Sonhos está em sua terceira edição e contou com a participação de mais de 300 artistas, além de outros 300 profissionais nos bastidores, entre cenógrafos, maquiadores, engenheiros e coreógrafos. A intenção é levar o cenário e os personagens das histórias infantis e natalinas paramuito próximo do público.Fabrício EscandiuziFabrício EscandiuziDeborah Secco e Iran Malfitano desfilam na Parada dos Sonhos, em Floripa

publicado por Tititi às 13:03

17
Dez 08

Numa entrevista a Ana Maria Braga no programa Mais Você de hoje de manhã na Globo, Iran Malfitano adiantou o final de Orlandinho:

- Ele termina com a Céu. Legal foi que, numa pesquisa numa pesquisa na internet que perguntava com quem Céu deve ficar, 5% responderam Halley, 6% disseram Cassiano e 89% votaram Orlandinho.

Deborah Secco também já mostrou satisfação se Céu terminasse com Orlandinho, que é o que vai acontecer!

publicado por Tititi às 14:56

29
Nov 08

Deborah Secco quer Céu e Orladinho juntos

Deborah Secco quer que sua personagem na novela A Favorita, Maria do Céu, termine a trama com o homossexual Orlandinho (Iran Malfitano), conforme publicou Patrícia Kogut em seu blog.

"Torço muito pelo amor deles. Minha avó e minha irmã também. O público torce, fica até me dizendo que ele pode virar homem", disse ela.

"Se ela terminar com o Cassiano (Thiago Rodrigues) é mais genuíno, ela sempre o amou, mas a torcida pelo Orlandinho é maior. Eles podem se tornar grandes amigos e viver juntos assim, por que não?", completou.

A actriz disse também acreditar que o filho que sua personagem espera seja de Cassiano.

Segundo Deborah, Céu já está começando a se arrepender dos seus erros. "Já disse que a vida dela é muito suja. Sinto que as pessoas querem que ela encontre um caminho certo".

Iran Malfitano diz que Orladinho deve ser feliz com um rapaz

Iran Malfitano disse ao blog da colunista de TV Patrícia Kogut que quer seu personagem, o homossexual Orlandinho, fique com Cassiano (Thiago Rodrigues) no final da novela A Favorita.

Segundo ele, não há chances de seu personagem ficar com Halley (Cauã Reymond), já que o autor João Emanuel Carneiro "deve ter outros planos para o desfecho de Halley".

"Se ele ficasse com uma mulher no final, perderia a força. Então eu queria que ele se apaixonasse por outro personagem. Poderia bem ser o Cassiano", disse o actor.

Malfitano contou ainda que não esperava todo o sucesso de seu papel. "Quando João Emanuel me convidou para a novela, avisou que seria por pouco tempo. Fico muito feliz de ter ficado porque deu certo. Até eu me surpreendo com o que estou fazendo em cena. Nunca pensei que seria capaz de interpretar um personagem gay tão bem".

Nos próximos capítulos da novela, Orlandinho terá uma crise de ciúmes de Céu (Deborah Secco) e irá tirar satisfações com alguns rapazes que olharão para ela. No dia seguinte, entretanto, ele explica a mulher que continua o mesmo.

Os finais de Carmo Dalla Vecchia:

FLORA
Não pode morrer. Termina entrando na cadeia para cumprir mais 18 anos. Passa o tempo fazendo risquinhos na parede e pensando em Donatela.

DONATELA
É a mocinha da história. Tem final feliz com Zé Bob.

DODI (MURILO BENÍCIO)
Vai abrir o olho com a Flora. Nunca falei isso para ele porque tenho vergonha,mas sou fã do Murilo. Quando crescer quero ser igual a ele.

IRENE (GLÓRIA MENEZES)
Tem que se ferrar. Ficar sozinha e rica. Depois dos flashbacks, que mostra o quanto Donatela foi boa com a Lara, não justifi ca Irene ter problemas com ela desde o começo.

HALLEY (CAUÃ REYMOND)
Tem o DNA do Foguinho (personagem de Lázaro Ramos em ‘Cobras e Lagartos’). Ainda vai ter a virada de Halley e ele vai terminar melhor.

LARA (MARIANA XIMENES)
Acho sujeira ela beijar a boca e dizer que ama o Halley e ir ao
show do Cassiano
(Thiago Rodrigues). No fi m, fi ca com o Cassiano.

ROMILDO (MILTON GONÇALVES)
O fim dele é na cadeia.

CÉU (DEBORAH SECCO)
Tem que ficar rica ao lado de um cara milionário, que pegue ela de verdade. ‘Tô
pagaaaando’.

AUGUSTO CÉSAR (ZÉ MAYER)
Volta a cantar e faz sucesso.

Cláudia Ohana quer que Cida fique com Juca (Bento Ribeiro)

Cláudia Ohana contou, em entrevista coletiva nesta quinta-feira, em São Paulo, qual o final que prefere para sua personagem em A Favorita, Cida. A atriz torce para que a caminhoneira termine com Juca (Bento Ribeiro), seu namorado.

"Tomara que eles fiquem juntos. Vai ter um conflito por ele usar drogas, mas torço para que dê certo", disse.

Para a Cláudia, outro factor que ajuda para que o relacionamento aconteça é a pressão da família da personagem. "A família quer que ela case. Filha solteira e caminhoneira é complicado."

Lara e Cassiano reatam namoro em  A Favorita

"É possível que eles voltem porque quando terminaram o namoro, Lara vivia um momento muito complicado em sua vida. O Cassiano só amou e se apaixonou por ela. Mas acho que ele não pode se iludir. Se não sentir segurança no sentimento dela, deve se afastar e não encontrá-la mais. Porque só distante é que você esquece o outro", opina Thiago Rodrigues, acrescentando que o relacionamento dos dois tem uma outra função na história.

"O romance entre eles tenta consertar a história de amor de Irene (Glória Menezes) e Copola (Tarcísio Meira)", explica o actor, referindo-se à paixão mal-resolvida que cerca os avós dos dois.

Mesmo sabendo que a relação entre Lara e Cassiano tem peso na trama, o actor não prefere tomar partido na disputa amorosa, que ainda envolve Alícia e Céu (Deborah Secco). "Já vi que não adianta o actor criar expectativa porque a gente quebra a cara", brinca.

Por isso, todas as fãs de Cassiano na trama ainda têm chances. "O sentimento que ele tem por Alícia é muito recente. Os dois ainda estão se apegando. Ela é muito divertida, brinca com a vida. Na sexta passada, gravei uma cena em que ela diz para ele: 'Agora vamos tentar outra roupa', e ele gosta disso", conta Thiago, sobre a iniciativa da jovem de dar um banho de loja no namorado para levá-lo a uma boate.

Com Céu, a relação é mais carnal. Mas desde o casamento da moça com Orlandinho (Iran Malfitano), o cantor optou pela discrição e por respeitar a relação do casal. "A Céu é daquelas mulheres que você não esquece. Ele é simples e se assusta quando ela vem naquela eloqüência. Ele gosta dela, mas acho que o tesão é o que mais pesa na relação. Ela poderia vir com a mesma sensualidade, mas de outra forma, mais mansinha", analisa o actor.

O autor de A Favorita já demonstrou interesse em explorar uma relação entre sua personagem e Catarina, mas até agora nada foi ao ar. Por quê?
Na verdade, não entrei na novela para fazer uma homossexual. A função da Stela é mexer na relação do Léo (Jackson Antunes) e da Catarina, mas o que já é certo é a relação de amizade entre as duas, que será cada vez mais forte. Existe a possibilidade de algo a mais, só que o João Emanuel não me adiantou nada. Mas vejo que o texto é conduzido para abrir essa possibilidade.

Você entrou na novela três meses depois da estreia e interpretando uma personagem sem muitas informações. Foi complicado?
É uma experiência diferente, até pela importância da personagem na história. Mas dei muita sorte porque caí em um núcleo que faz sucesso e é repleto de pessoas que admiro. Já trabalhei com a Lilia em Pedra Sobre Pedra e é maravilhoso atuar ao lado de alguém que a gente sabe que tem seriedade e que é profissional. Além dela, estou ali pertinho do Tarcísio (Meira), Chico Diaz, Jackson Antunes, são vários nomes de peso da emissora.

A Stela é dona de um restaurante e aparece cozinhando em vários momentos. Você precisou de uma preparação específica para esse papel?
Como eu não entrei no início da novela, não rolou nada específico. Geralmente, antes de gravar uma cena que envolva algo mais complexo na culinária, eu recebo o apoio de profissionais especializados que me ajudam. Mas tudo antes de gravar, nada muito exagerado. Até agora, tenho gostado muito do que vi.

A sexualidade da Stela ainda é incerta, mas o próprio texto indica esse amor platônico de sua personagem. Como você pretende trabalhar isso no ar caso a relação das duas evolua?
Será um casal como outro qualquer. Acho que o bacana é mostrar que não é nada de outro mundo. Assim como um homem e uma mulher que se amam, duas mulheres podem experimentar isso também. Tenho várias amigas que são gays e elas não são diferentes das outras mulheres. O que é inovador nessa história é a idade das personagens. É muito comum ver relações gays na TV entre jovens, mas não entre pessoas mais experientes. Tanto que eu trabalhei bem esse lado sério. Se acontecer em A Favorita, vai ser de uma forma madura, tranqüila.

De que forma você trabalhou essa seriedade na personagem?
Desde o início penso nisso. Antes de começarem as gravações, sugeriram um aplique para o meu cabelo. Aí fiquei pensando que não seria legal. Imaginei que poderia parecer meio gostosona, exuberante demais. Depois de algumas reflexões decidiu-se por esse corte mais clássico e simples mesmo. Isso me ajudou a, junto com os gestos e o texto da Stela, deixá-la com esse ar de seriedade. Acho que isso também aproxima ela da Catarina e ajuda a, de repente, aflorar esse sentimento entre elas.

A possibilidade de rejeição a uma personagem lésbica assusta você?
Não, eu seria doida se não torcesse por esse romance entre a Stela e a Catarina. Fiquei sabendo disso pela imprensa, mas adorei a possibilidade. Passei muito tempo esperando personagens mais densos. Hoje o que eu quero é ter história. Por mim, a Stela pode ser da máfia, louca e lésbica! Quanto mais conflitos, mais gratificante é o trabalho. Não gostaria que minha participação na novela se resumisse a uma mulher que chegou ali para abrir um restaurante e cozinhar bem.

Como são as reações do público em relação a isso?
Vejo muita gente torcendo para que a história se desenvolva. A trama da Catarina tem um apelo popular muito forte. Como a Stela está diretamente ligada à história, ouço muita gente revoltada sobre a forma como o Léo trata a mulher. Em nenhum momento ouvi algum comentário ruim sobre a aproximação das duas. A grande verdade é que não acho que o homossexualismo ainda seja um grande bicho de sete cabeças. A sociedade já avançou, hoje em dia as pessoas estão mais abertas para essa realidade.


19
Set 08

Como no início da trama tudo girava em torno das protagonistas, o autor João Emanuel Carneiro avisou que, na segunda etapa da novela, iria desenvolver os outros núcleos. Muita coisa já está acontecendo e os atores estão animados. Veja o que eles esperam que aconteça daqui pra frente.

Tais Araújo
“Estou ansiosa para saber se vai ter uma reviravolta na vida de Alicia, mas temos que esperar o João Emanuel. É difícil porque as pessoas não entendiam muito bem o porquê da revolta dela com o pai. Acho que agora vai ficar bem claro que ele não vale nada, é um corrupto. Acho que cada vez mais o João vai aprofundar essa questão da política. Acho que o público não pode perder a novela porque não aconteceu nem metade.”

Thiago Rodrigues
“Não sei se Cassiano vai voltar a namorar a Lara. Eu não sei nem o que esperar do João, porque ele é um autor tão montanha-russa, que surpreende tanto a gente, que o negócio é fazer com verdade tudo o que ele mandar. É claro que a gente tem as nossas preferências, mas não vale a pena viajar muito nisso não. É melhor confiar nele e ir até o fim”.

Título da MatériaDeborah Secco
“Eu não sei o que esperar para Céu, mas com certeza o João está preparando muita coisa legal. Eu estou muito feliz! Fazer uma personagem com tantas possibilidades é muito bom. A Céu começou com um lado forte para o drama, e agora está caindo para comédia. Acho essa personagem muito rica. Eu fico contando os dias para receber os capítulos novos”.

Romildo RosaMilton Gonçalves
“O que vai acontecer com Romildo eu não sei, isso está na cabeça do autor, e podemos esperar de tudo (risos). Acho que a relação familiar do Romildo vai continuar ruim. Em novela, se você não ficar próximo do autor, você não tem nenhuma intuição do que vai acontecer. Mas acho que o Romildo vai ficar cada vez mais encrencado.”

[emmanuele+araujo.jpg]Emanuele Araújo
“Eu estou adorando a virada da personagem, a cada capítulo são novas vertentes, novas nuances de interpretação para a Manu. Ela é uma menina cheia de sonhos, que pensa sempre como pode se dar melhor, tem caráter duvidoso, cheia de revoltas, e que também gosta muito de se divertir”.

Christine Fernandes
“Não sei quais são os planos do João, mas eu gostaria que a Rita fosse um exemplo de integridade. O país está precisando de bons exemplos. Quem sabe, se ela entrasse para política e fosse uma semente boa dentro de um universo corrompido. No entanto, se ele a transformar numa mulher terrível, eu também vou adorar. Adoro vilã e, para uma actriz, é uma possibilidade muito rica para trabalhar. Mas vou ficar feliz com qualquer um dos desfechos para Rita!”

Iran Malfitano
“Este é o melhor momento na minha carreira até agora. O Orlandinho teria uma participação muito menor, mas o personagem foi crescendo, para a minha surpresa! Está sendo maravilhoso, estou muito empolgado. Tomara que ele continue nesse núcleo cômico com a Céu e o Halley, está muito divertido”.


15
Set 08

Patrícia Pillar viveu Flora em  A Favorita

A Favorita que actualmente está no ar pouco tem a ver com a novela que João Emanuel Carneiro estreou no início de junho, na Globo. Antes, as tramas paralelas eram opacas e várias situações pareciam pouco críveis no ar.

Mas agoram o autor faz uso de estratégias que já funcionaram em outras novelas do horário e mantém uma história ágil e com ingredientes capazes de prender a atenção. Como as vilanias da psicopata Flora, actuação de Patrícia Pillar, que são exploradas a todo o momento, e os dramas da agora mocinha Donatela, de Cláudia Raia.

Além disso, a movimentação de outros núcleos proporciona o alívio necessário à trama central e desempenha bem a função de evitar o desgaste da história. A audiência crescente reflete esse maior controle do autor sobre a trama e já alcança a média de 41 pontos no Ibope nacional em setembro. De cada 100 aparelhos de TV ligados no horário, 61 sintonizam A Favorita.

A obsessão de Flora em se tornar uma "nova" Donatela é um dos principais atrativos da novela. A ex-presidiária detesta o pai, chama a filha Lara, de Mariana Ximenes, de chata pelas costas e chega ao cúmulo de lamentar a suposta morte de Donatela, de Cláudia Raia, por não poder se vingar, aos poucos, da rival. Emoções bem defendidas por Patrícia, que consegue convencer em todas as atitudes da vilã.

Tudo que antes parecia não ter sentido, como o fato de Donatela morar com os ex-sogros mesmo sendo casada com outro homem ou a construção de Lara com ares de adolescente americana rebelde, pulando a janela da faculdade para fugir de seguranças, foi enterrado. Até o núcleo cômico principal, encabeçado por Halley e Orlandinho, de Cauã Reymond e Iran Malfitano, deixou um pouco de lado o tom pastelão e a superficialidade com a presença de Maria do Céu, interpretação de Deborah Secco digna de elogios. Depois de amargar críticas em América e Pé na Jaca, Deborah conseguiu construir bem uma retirante orgulhosa e com nuances na medida certa.

Investir em grandes vilãs vem dando certo na teledramaturgia nacional. Foi assim em Duas Caras, quando Sílvia, de Alinne Moraes, passou de "patricinha" metida a psicopata quase que de uma hora para outra. Ou em Celebridade, quando a vingativa Laura, de Cláudia Abreu, não media esforços para tomar tudo que era da promoter Maria Clara, de Malu Mader. Essa última história, inclusive, chega a se parecer com a descrita por João Emanuel. Assim como Gilberto Braga, João pretende explorar toda a vingança de Flora e, posteriormente, mostrar a queda da assassina e o triunfo da heroína Donatela. O problema é que Donatela já começou seu caminho de sofrimento e a actual situação da personagem já é digna de pena. Mocinhas que perdem sempre na TV tendem a se tornar cansativas.

A "favorita" não pode ser construída apenas de derrotas até o grande final. E, nesse aspecto, pode ser interessante a parceria dela com Pedro, de Genézio de Barros. Além disso, o autor já dá sinais de que Lara é uma das peças principais para o desfecho da trama.

Além das confusões amorosas com Halley e com o músico Cassiano, de Thiago Rodrigues, até agora é a única que parece enxergar Flora como "boazinha demais para ser verdade".

Donatela (Claudia Raia) foge do grupo que persegue Diva (Giulia Gam)Renato Rocha Miranda/TV Globo


07
Set 08

Os actores Cauã Reymond, que interpreta Halley, e Mariana Ximenes, que vive Lara na novela A Favorita, gravaram cenas românticas na manhã desta segunda-feira no Rio de Janeiro. As filmagens foram realizadas na Barra da Tijuca, zona Oeste do Rio. Na cena, Lara e Halley chegam juntos no carro dela. Ele desce e segue conversando com a moça pela janela, por onde ela sai e os dois se beijam. No mesmo bairro foram gravadas cenas do personagem Zé Bob (Carmo Dalla Vecchia). Ele conversa com a filha (interpretada por Hanna Romanazzi) em um restaurante. No intervalo entre as cenas, Dalla Vecchia tirou fotos com fãs. Roberto TeixeiraRoberto TeixeiraRoberto TeixeiraRoberto TeixeiraRoberto TeixeiraRoberto TeixeiraRoberto Teixeira

Os actores Cláudia Ohana, Iran Malfitano e Cauã Reymond gravaram cenas da novela “A favorita” nesta quarta-feira, 3, na Lapa, no Centro do Rio. A casa de show Circo Voador (onde Cauã foi clicado) foi usado como locação para o folhetim de João Emanuel Carneiro.Onofre Veras/Ag. News

Na pele de Dodi, o ator Murilo Benício gravou cenas da novela em que actua, "A favorita", nesta quarta-feira, 3, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio. O sol estava quentíssimo e muitas vezes Murilo não se sentiu confortável com o paletó de seu personagem da novela das 20h.Carlos Zambrotti/Ag NewsCarlos Zambrotti/Ag NewsCarlos Zambrotti/Ag. News

Na manhã desta segunda-feira, 1º, o cenário escolhido pela equipe da novela da TV Globo,  "A favorita", foi uma rua no Jardim Botânico, Zona Sul do Rio. Foi no tranqüilo bairro cercado pela Mata Atlântica que Flora (Patrícia Pillar), Dodi (Murílo Benício) e Zé Bob (Carmo Dalla Veccia) gravaram suas aventuras.Gil Rodrigues/Photo Rio News

Domingo é dia de descanso. Não para o ator Carmo Dalla Vecchia. Na tarde deste domingo, 31, de chuva do Rio de Janeiro, o ator trabalhou e muito. Carmo gravou no centro do Rio de Janeiro cenas de seu personagem Zé Bob em 'A favorita', novela das 20h da TV Globo.Onofre Veras/Ag NewsOnofre Veras/Ag NewsPaulo Teófilo/AgNews

Deborah Secco desfilou o minivestido de sua personagem nesta quarta-feira, 3, quando gravava cenas externas com seu par romântico em "A favorita", Thiago Rodrigues, em Jacarepaguá, no Rio. Ousada, a Maria do Céu, interpretada por ela na novela, vai aparecer com esta peça atrevida da foto nos próximos capítulos da trama. O modelito deixou as pernas torneadas da actriz à mostra.Carlos Zambrotti/Ag News

Como a história de "A Favorita" se passa em São Paulo, o bucólico bairro do Grajaú, no Rio, serviu de cenário para a novela das oito. Na manhã desta sexta-feira, 22,  Deborah Secco, Iran Malfitano e Cauã Reymond deram vida a Maria do Céu, Orlandinho e Halley. Para alegria do público que assistia aos bastidores da gravação, Cauã deu uma palhinha de seu corpão e, para consertar o santo microfone, exibiu a barriga tanquinho.Phillipe Lima/Ag. NewsPhillipe Lima/Ag. News

 


Após cortar os cabelos para marcar a nova fase na vida de Donatela, sua personagem em "A Favorita", Claudia Raia mudou novamente o visual para gravar cenas da novela na quinta-feira (4), no Recreio dos Bandeirantes, no Rio.

Desta vez, porém, a mudança não afetou diretamente os cabelos da mulher de Edson Celulari, que foi flagrada com uma peruca loira e de franjinha durante as cenas. Bem humorada, Claudia fez questão de registrar o "novo visual" ao lado da equipe de produção da novela.Delson SilvaDelson Silva


26
Jul 08

Iran Malfitano finalmente deu um tempo dos sucessivos galãs nas novelas. Com cabelo comprido e desgrenhado, ele se diverte na pele de Orlandinho, um piloto de Fórmula 3 gay e mauricinho em A Favorita. O personagem seria apenas uma participação nos primeiros capítulos da trama de João Emanuel Carneiro, mas acabou caindo nas graças do público.

O que mais intriga o actor no personagem é que Orlandinho faz tudo para conquistar o interesseiro Halley (Cauã Reymond). Na verdade, ele não consegue perceber que o falso gay só está de olho em sua conta bancária.

"Em Kubacanan eu era o cara bonitão, mulherengo, de peito cabeludo. Em Malhação, fiz o bom moço Guilherme. Com o Orlandinho, é diferente. Ele é um homossexual com conflitos profundos", valoriza o actor.

Para Malfitano, Orlandinho é um marco positivo em sua carreira porque foge dos tipos que já fez. Ao mesmo tempo que denuncia o preconceito presente nas altas classes sociais. E mostra um homossexual carinhoso que, muitas vezes, exagera no tom na interpretação e até beira a caricatura.

"Muitos homossexuais sofrem porque nosso País ainda é muito preconceituoso. E o pior é a condenação da família", lamenta.

Ao escolher moldar o personagem de maneira mais contida, Malfitano explica que a proposta da trama é da descoberta da homossexualidade.

"Não quis fazer um personagem afetado, cheio de trejeitos. Até porque a intenção é de que o personagem se descubra aos poucos", defende. "Estou tentando fazer um alguém que não sabe exactamente o que quer, que não sabe em que terreno está pisando", argumenta.

Quando saiu de Malhação e foi fazer novelas, ele foi contratado para o elenco de Kubanacan exactamente pelo seu biotipo moreno de peito cabeludo. O actor também fez Mac Mac, em Bang Bang, depois de Kubanacan. Ou seja, continuava na mesma linha de galãs que viviam descamisados, com o torso à mostra.

"Em Kubanacan o Lombardi queria alguém que tivesse peito cabeludo para ser o filho do Humberto Martins. Graças a isso, pude mostrar meu trabalho", lembra.

No entanto, o que mais impressiona o actor é que as pessoas ainda comentam sobre o Guilherme de Malhação. "Meu pai às vezes brinca comigo, falando que o Gui vai virar uma marca na minha carreira. Mas não me incomodo, acho que fiz bem feito".

Mesmo se deliciando em interpretar homens bonitões e sarados, o actor jura ter se divertido com a série Donas-de-Casa Desesperadas, na Rede TV!, durante o tempo em que ficou fora da Globo.

"Foi bom porque nesta época o Lombardi continuou vendo meu trabalho e me chamou para trabalhar novamente com ele", comemora. "Acho saudável sair de uma emissora onde você começou, fazer trabalhos fora, descobrir que anda com as próprias pernas e voltar".

Apesar dos personagens homossexuais estarem cada vez mais presentes em novelas com um cotidiano absolutamente comum, como o de outros personagens, a intenção do Orlandinho é carregar no humor em suas cenas. Por isso, o personagem está presente no núcleo cómico da novela.

"É bom fazer parte destes núcleos porque todo mundo fica esperando a palhaçada", brinca. E ratifica seu argumento explicando que, em épocas anteriores, existiam mais novelas engraçadas, sem tanto realismo, em que era possível se deleitar com a trama e apenas rir.

"Podíamos descansar dos problemas diários. Hoje, com tanta crueldade, ainda bem que existem os núcleos cómicos para que as pessoas esqueçam da complexidade da trama e se divirtam".

publicado por Tititi às 15:30

Músicas


pesquisar neste blog
 
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
20
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


O elenco
Visitas
Enquete
Resultado da 1ª enquete: Quem está falando a verdade? Donatela 66% | Flora 34% | 228 votos Resultado da 2ª enquete: Halley ama Lara de verdade? Sim 50% | Não 22% | Nem ele sabe 28% | 208 votos Resultados da 3ª enquete: Com quem Cassiano deve ficar? Alícia 40% | Lara 38% | Céu 27% | 244 votos Resultados da 4ª enquete: Qual dos vilões deve morrer? Flora 51% | Os três 21% | Dodi 18% | Silveirinha 10% | 312 votos Resultados da 5ª enquete: Catarina fica com... Vanderlei 43% | Stela 41% | Sozinha 15% | Leo 1% | 130 votos
Links



That's So Raven Blogando! Assece Já!
blogs SAPO